3dgun

Ano passado chamou muita atenção a noticia da primeira arma impressa totalmente funcional (em metal mesmo). Antes já havia se falado sobre uma arma impressa em plástico (super tosca mas que dava medo por nao ser vista pelo detector de metais) e sobre a impressão de pentes da AR-15 e AK-47 (que podem ser compradas legalmente e com o pente ficam ainda mais perigosas).

A legislação vai demorar para acompanhar, mas uma hora ou outra acabará saindo. Será proibido imprimir ou exportar arquivos 3D de armas. Mas, como já sabemos, mesmo nos países onde a lei funciona, esse controle não será viável.

As proibições geralmente afetam mais quem esta de acordo com a lei do que quem esta fora.

Nem mesmo pelos métodos legais será possível proibir. Ontem estava conversando com um amigo (o Luciano Ramalho) sobre isso e lembrando do caso do PGP, criado pelo Phil Zimmermann em 91. O PGP foi o primeiro software de criptografia e autenticação para as massas (e open source). Como era de se esperar, o governo caiu de pau. A exportação de criptografia sempre foi super controlada, quem lembra aqui que nem mesmo os bancos brasileiros conseguiam usar servidores web com criptografia forte para o internet banking?

O que o cara fez? Imprimiu o código em um livro via editora da MIT. Aí não pode proibir (liberdade de expressão, a tal Primeira Emenda da constituição). Qualquer um (em qualquer país) pode comprar o livro, passar um OCR (ou digitar na mão :), compilar o programa e distribuir livremente na internet.

Mas o que assusta não é a fabricação caseira de armas (ou armas feitas para um único indivíduo) pois isso não será interessante (financeiramente falando) por muitos anos. O problema será a fabricação para milícias e ditadores de países que hoje precisam recorrer a um expediente caro e demorado para conseguir armas.

Mesmo que uma arma demore muitas horas para ser impressa, demande um equipamento caro e uma equipe treinada, isso ainda será financeiramente mais interessante do que o tráfico.

Bastará ter os arquivos. E arquivos são muito mais fáceis de serem roubados ou contrabandeados.

No passado, muitos países usaram as fábricas locais para produzir armas, roupas e outras coisas para a guerra. No futuro, poderão fazer o mesmo com impressoras 3D compradas por empresas ou universidades.

A boa notícia é que, normalmente o lado negativo de uma nova tecnologia é primeiro a chamar atenção, e no caso das impressoras 3D isso não aconteceu. Antes de falar de armas, muitos falaram sobre impressão de próteses, reposição de órgãos etc.

Procurar