Jatene

Jatene foi um Maker.

Ele criou e desenvolveu produtos de necessidade primaria aos seres humanos: corações. Ele desenvolvia e pesquisava equipamentos e ferramentas para a área médica. Sempre imaginamos que para algo tão delicado que é o corpo humano, deve ser necessário investir milhões de doláres em empresas de biotecnologia para criação de produtos.

Ai que vem uma surpresa: Jatene garimpava e criava com insumos na Santa Ifigenia. Numa reportagem sobre a sua vida na Veja São Paulo ele diz: ”

“Quando surgiram no mundo válvulas artificiais e nós não tinhamos condições de importa-las para o Brasil, eu só pensava em dar um jeito “Como é que eu vou fazer isso aqui? E, em 1964 as montamos, como material disponível no país Em 1958, para fazer o coração pulmão artificial doo Hospital das Clinicas, fui a uma fábrica pedir para adaptarem um motor e depois comprei peças na rua Santa Ifigênia, que na época já era um polo eletroeletrônico. Sou otimista”

Outro ponto de vista fundamental na vida dele foi esta resposta que ele deu a uma entrevista na Isto é: “Quis lembrar que a medicina é uma profissão peculiar. Não trata das coisas que as pessoas têm. Trata da pessoa. Não pode ser um negócio, não é um meio de enriquecer, de conquistar posição social. Pode acontecer, mas o seu objetivo é ajudar pessoas que sofrem.”

Jatene na sua profissão se preocupava com as pessoas e não com o dinheiro.

Fica aqui uma pequena homenagem a um Maker que ajudou muitas pessoas a sobreviverem.

 

 

Alon Sochaczewski

Autor de dois livros sobre tecnologia, comunicação e negócios, Alon é empreendedor serial e atua no mercado digital desde 1995.

Procurar