O primeiro mundo está se preparando para a próxima revolução industrial, e nós?

Em um relatório publicado esta semana,o ex-secretário de Educação britânico Lord Kenneth Baker disse que todas as escolas primárias do Reino Unido devem ter uma impressora 3D.

Esta direção faz parte de um plano de oito pontos em relação à educação em tecnologia digital e na prevenção de desemprego no futuro.

Entre os pontos, o plano envolve trazer especialistas para ensinar programação, ter impressoras 3D, oferecer ciência da computação no lugar de língua estrangeira, aprendizagem mão na massa, design e como as empresas funcionam.

De acordo com Lord Baker, é necessária uma acção radical para garantir que a próxima geração de adultos de trabalho está equipado para lidar com uma nova era na tecnologia de “quarta revolução industrial”, uma das impressoras 3D, robôs e inteligência artificial.

Embora Lord Baker acredite que os estudantes devem ser introduzidas para impressão 3D e tecnologia de projeto em uma idade jovem, ele também destaca que as tecnologias de fabricação aditiva são uma ameaça para as carreiras consideradas estáveis: “A economia está mudando a um ritmo sem precedentes”, disse ele . “Todos os dias, os empregos estão sendo perdidos em profissões que considerávamos carreiras para a vida toda. Inteligência artificial, robôs, impressão 3D e veículos sem condutores terão impacto sobre setores tão variados como a profissão de advogado, transporte e construção.”
Lord Baker também é membro da Edge Foundation, uma instituição de caridade independente voltada a educação e responsável pela publicação.

Você pode baixar a publicação aqui.

E leia a nossa publicação contando nossa experiência levando a cultura maker para dentro da sala de aula em algumas escolas particulares.

Ricardo Cavallini

Fundador do Makers Brasil.

Procurar